O Linux é a melhor opção

Archive for the ‘Dicas’ Category

Antigamente para fazer upgrade do Fedora, tinha-se que fazer download da iso, gravar num DVD, e depois arrancar pelo DVD e fazer o upgrade para a nova versão do Fedora !

Mas, agora desde o Fedora 17, as coisas mudaram: o DVD do Fedora apenas serve para instalar o Fedora; e para fazer upgrade do Fedora temos que usar o FedUp – FEDora UPgrader.

Há tempos, precisei de fazer o upgrade do Fedora 18 para o Fedora 19, se bem que o Fedora 20 tá quase a sair, e encontrei umas dicas bastante interessantes, que resolvi partilhar com todos os que delas possam precisar 😉

Como fazer upgrade do Fedora com o FedUP ?

  1. Por motivos de segurança, faça backups de todos os seus ficheiros e pastas importantes !
  2. Actualize o seu sistema
    $ yum update
  3. Reinicie o computador
  4. Instale o FedUp
    $ yum install fedup
  5. Inicie o upgrade com o FedUp
    $ fedup-cli --network 19 --debuglog /root/fedup.debug.log
    Atenção: neste caso é para fazer upgrade para o Fedora 19, se fôr para outra versão não se esqueça de mudar a versão a seguir a –network.
    Pode incluir outros repositórios com a opção –enablerepo=nome_repositório.
  6. Reinicie o computador
  7. Logo no boot (grub), vai aparecer “system upgrade (fedup)”, escolha esse item para continuar.
    Pressione ESC se quer ver em modo texto, vai demorar um bom tempo 😉
  8. Quando terminar reincie o computador
  9. Refaça a base de dados do RPM
    $ rpm --rebuilddb
  10. Para evitar problemas faça a sincronização da nova versão do Fedora
    $ yum distribution-synchronization --disableplugin=presto
    Atenção: Jamais execute $yum update antes deste passo, senão pode dar barraca !
  11. Caso tenha instalado o Google Chrome execute
    $ yum remove google-chrome-\* && yum install google-chrome-[beta,stable,unstable]

Bom, espero que este pequeno tutorial vos seja útil 😉

Links
http://www.if-not-true-then-false.com/2013/upgrade-fedora-18-to-fedora-19-using-fedup/

Desta vez, vou-vos falar do Insync, uma execelente ferramenta de computação em nuvem,  para sincronização com o Google Drive 🙂
Porque infelizmente o Google Drive só está disponível para windows, mac, ios e android. 😦
Mas o Insync não fica nada atrás, bem pelo contrário, eles até dizem que o “Insync ama o Linux” 😀
O Insync permite uma perfeita infegração nas vários distros, e em vários ambientes de trabalho (eg. kde, gnome …) !

Eu aqui apenas vou exemplificar os passos para instalar o Insync, para as distros que suportam o APT ou o YUM, e para os ambientes gráficos GNOME e KDE, para os restantes poderão consultar a página oficial do Insync !

Nota: A versão 1.0 do Insync tá quase a sair do forno, confira aqui as novidades
https://forums.insynchq.com/discussion/1747/insync-1-0-release-candidate/p1

Através do APT

  1. Faz download do repositório insync
    $ wget -qO - https://d2t3ff60b2tol4.cloudfront.net/services@insynchq.com.gpg.key \ | sudo apt-key add -
  2. Edita o ficheiro /etc/apt/sources.list e acrescenta
    deb http://apt.insynchq.com/ [DISTRO] [CODENAME] non-free
    Exemplo: deb http://apt.insynchq.com/ubuntu Ubuntu 12.04 non-free
  3. Actualiza os repositórios no apt
    $ sudo apt-get update
  4. Instala o insync
    $ sudo apt-get install insync-beta-ubuntu insync-beta-gnome ou
    $ sudo apt-get install insync-beta-ubuntu insync-beta-kde, consoante o ambiente gráfico preferido.

Através do YUM

  1. Importa a chave pública do insync
    $ sudo rpm --import https://d2t3ff60b2tol4.cloudfront.net/repomd.xml.key
  2. Cria um novo ficheiro insync.repo dentro do directório /etc/yum.repos.d/ com o seguinte texto:
    [insync]
    name=insync repo
    baseurl=http://yum.insynchq.com/fedora/
    gpgcheck=1
    gpgkey=https://d2t3ff60b2tol4.cloudfront.net/repomd.xml.key
    enabled=1
    repo_gpgcheck=1
    metadata_expire=60m
  3. Instala o insync
    # yum groupinstall insync-beta-gnome ou
    # yum install insync-beta-kde, consoante o ambiente gráfico preferido.

Atualmente existem várias distros que utilizam o yum para actualizar os pacotes (ou designados por RPM‘s), tais como, Fedora, CentOs, RedHat, Mandrake … !

Ultimamente, nomeadamente no Fedora 17, têm surgido alguns problemas com a actualização do sistema.
Ainda pensei que talvez com o tempo a coisa se resolvesse, mas com o passar do tempo, me apercebi que não … !
Então, depois de passar por esses problemas, resolvi partilhar neste post algumas soluções úteis 😉

Conflicto de pacotes

Raramente acontece, mas às vezes ao actualizar dá conflicto … !
A solução mais simples nesses casos é remover os pacotes q dão conflictos, actualizar e tornar a instalar se fôr mesmo necessário.
# yum remove audacious*
# yum update
# yum install audacious*

Mas nem sempre isso resolve os problemas, por vezes ao tornar a instalar os mesmos estes dão problemas !
Muitas vezes nós queremos ter o software bem apetrechado com todos os plugins … mas em determinados casos quanto mais simples melhor … !
Vou enunciar dois casos, de dois bons players, para os quais encontrei a solução pelo caminho mais simples, demorou mas cheguei lá 🙂

VLC
No caso do VLC a solução foi optar por remover todos os extras, e instalar simplesmente o VLC sem mais nada !
# yum remove vlc*
# yum install vlc

Gnome Mplayer
Como devem imaginar o Gnome sofreu bastantes alterações, houve uma grande evolução do GNOME 2 para a versão 3.X … !
Por outro lado, o Mplayer sofreu grandes alterações, com vista à melhoria do mesmo player 🙂
Resultado: não se conseguia instalar o gnome-mplayer
A solução passou mais uma vez pelo caminho mais simplista / minimalista !
# yum install gnome-mplayer-minimal

Indisponibilidade de pacotes
Este tipo de situações é mais frequente quando queremos actualizar o sistema (yum update), e aparecem alguns pacotes, que mesmo após a pesquisa em todos os mirrors, estão indisponíveis !
A solução deste tipo de problemas é simples:

    1. Procura os pacotes em falta no site pkgs.org
    2. Faz download dos mesmos, não te enganes na distro nem na versão dos pacotes
    3. Instala 1 a 1 separadamente

      # cd «directório de downloads» (ex: cd /home/user/Download)
      Download# yum install «nome do pacote completo»
    4. Por último actualiza o sistema
      # yum update

É aconselhável que antes de actualizar o sistema se limpe todos os dados da cache
# yum clean all

Olá !
Certamente estranharão o facto de só agora ter colocado mais 1 post ! lool
Mas meteram-se as festas pelo meio, e também não tenho tido tempo !

Acompanhem as notícias diárias na página do Facebook
https://www.facebook.com/linuxbestchoice

Voltando ao assunto …
Ao fazer upgrade / actualizar as distros para a versão mais recente, certamente terão reparado que agora surgiu o Grub2, para substituir o Grub até agora existente.
Na maioria dos casos, a mudança do Grub para o Grub2, é feita com sucesso ! 🙂
Mas, no entanto, para alguns casos dá problemas, ao arrancar apenas mostra a opção windows, e não aparece a opção Linux ! 😦
Para esses casos, já há solução, a qual irei expor a seguir !

A título de exemplo imaginemos q a nossa máquina tem 2 discos, 1 para windows e o outro pra Linux, deste modo
/dev/sda – disco do windows
/dev/sda1 – windows
/dev/sdb – disco do linux
/dev/sdb1 – linux /
/dev/sdb2 – linux swap
/dev/sdb3 – linux  /home

Vale a pena relembrar, que o MBR – Master Boot Record, deve ficar no início do disco  (ex: /dev/sda), mas podemos ter mais que um MBR em discos distinctos (ex: 1 MBR em /dev/sda e outro em  /dev/sdb)
Passos para resolver esse tipos de problemas:

  • Insere o DVD da distro, e entra em modo rescure (ou recuperação), escolhe o modo shell, e executa o segunte:
  • # chroot /mnt/sysimage – para entrar na partição do sistema linux
  • # grub2mkconfig -o /boot/grub2/grub.cfg – para ajustar as configurações do grub2
  • # grub2-install /dev/sdb – para instalar o Grub2 no MBR do disco Linux
  • # cp  /boot/grub/grub.conf /boot/grub/grub.conf.back – guardar backup é 1 bom princípio 🙂
  • Edita o ficheiro  /boot/grub/grub.conf, e acrescenta o seguinte:

Title Linux (grub2)
root (hd1,0)
kernel  /boot/grub2/grub.cfg
chainloader +1

  • Muda o default para o item q criaste
  • Grava e reinicia, e repara se ao arrancar aparece o grub com essa opção, e se deres enter vê se ele salta para o grub2, com as várias versões do kernel
  • Por fim, basta mudar o item por omissão do grub2, para que entre no primeiro, que por sinal é sempre o mais actual, executando:
  • # grub2-set-default 0

Pronto, agora é só reiniciar e verificar se está a funcionar tudo nos trinques 😀
Comigo funcionou !
Espero q esta pequena dica vos seja muito útil ! 😉

Ficheiros

ls – lista o directóro
ls -al – lista o directóro com os ficheiros escondidos
cd dir – entrar no directório dir
cd – entrar na home
pwd – mostra o directório currente
mkdir dir – cria o directório dir
rm fich – apaga o ficheiro fich
rm -r dir – apaga o directório  dir
rm -rf dir – força a apagar o directório dir
cp fich1 fich2 – copia fich1 para fich2
mv fich1 fich2 – move file1 para file2
ln -s fich link – cria uma ligação simbólica para o ficheiro fich
more fich – mostra pág a pág o conteúdo de fich
head fich – mostra as primeiras 10 linhas de fich
tail fich – mostra as últimas 10 linhas de fich

Outros comandos estão disponíveis nesta tabela em pdf

Já tens o teu n.º de utilizador do Linux ?
Caso negativo, apressa-te para obter o teu n.º de utilizador do Linux …. !
Dá imenso jeito, para pôr nas assinaturas, … !
Há imensas formas de o fazer, contudo, eu vou apenas abordar esta que é simples !

Para obteres o teu n.º de utilizador do Linux, segue os seguintes passos:

  1. Entra no site Linux Counter
  2. Clica no link “get counted”
  3. Preenche o formulário com os teus dados
  4. E finalmente após confirmar, é lhe fornecido um n.º e a imagem
  5. Guarde esse n.º e imagem num local seguro

Eu tb tenho o meu n.º de utilizador do Linux, como podem ver na imagem que se segue

O que é o dropbox ?

O DropBox é um serviço para armazenamento de ficheiros, baseado no conceito de computação em nuvem.
Veja mais informações sobre o dropbox neste link da wikipédia
http://pt.wikipedia.org/wiki/Dropbox

Por outras palavras, o dropbox funciona como um disco virtual, onde se guardam ficheiros (tal como numa pen). Para além disso é possível partilhar ficheiros com os amigos e trabalhar em equipa num documento … !
A grande vantagem do dropbox, é a portabilidade, ou seja,  podemos abrir num qualquer computador com internet.

Como se instala o dropbox no linux ?

Para instalar o dropbox no linux siga os seguintes passos:

  1. Faz download do script em python com o cliente do dropbox para linux
  2. Abre um terminal e executa o comando
    $ su -
  3. Instala o cliente do dropbox para linux
    $ python dropbox.py start -i
    e siga as instruções do assistente, e quase no final vai-lhe pedir para criar uma conta nova ou para usar uma já existente
  4. Faça download do plugin do dropbox para o nautilus (gestor de ficheiros do gnome), dependendo da distro linux que utiliza.
    https://www.dropbox.com/downloading?os=lnx
  5. Instale o referido plugin, recorrendo ao gestor de pacotes (adicionar / remover software), ou na linha de comandos. Neste último caso, entre em modo root e execute um dos seguintes comandos:
    # cd «directório de downloads»
    # yum install nautilus-dropbox*

    ou

    # cd «directório de downloads»
    # dpkg -i nautilus-dropbox*.deb
  6. Se preferir que o dropbox inicie de cada vez que o linux arranca, proceda do seguinte modo:
    • KDE
      • Vá a siytem settings, tab advanced, autostart e acrescente o desktop file com o comando dropbox start -i
    • GNOME
      • Vá a startup aplications (aplicações no arranque) ou sessions (sessões), e acrescente dropbox start -i

Como se utiliza o dropbox no linux ?

Primeiro de tudo, se o dropbox não estiver no arranque, terá que o iniciar manualmente, executando no terminal
$ dropbox start

dropbox no kde

dropbox no kde

Agora na systrai vai aparecer um icon, que parece uma caixa aberta, que é o dropbox.
Clique duas vezes nesse icon e vai aparecer o nautilus (gestor de ficheiros), com os ficheiros e pastas que estão no dropbox.
Entre as outras pastas tem duas de importante relevância:
Public – nesta pasta poderá compartilhar o que quiser com os seus amigos.
Photos – nesta pasta poderá compartilhar fotos das últimas férias … com os seus amigos, e ainda usufrui de um serviço especial do dropbox para mostrar as imagens em thumbnails, e tb com slideshow … !
Tudo o resto que pusermos na raiz ou notras pastas que não estas será apenas privado, a não ser que partilhe uma determinada pasta.

Quando desejar terminar o dropbox, basta ir ao icon do dropbox na systrai e clicar em stop dropbox, ou então na linha de comando
$ dropbox stop

Também poderá utilizar em modo web.

Para quem quiser convites para o dropbox, basta aceder ao link e criar uma nova conta
https://www.dropbox.com/referrals/NTY2Mzk3ODM5

Se tiverem algumas dúvidas sobre o dropbox, podem ver com ele funciona nestes dois videos compartilhados no meu dropbox
http://db.tt/0NRxFf

Quem quiser consultar mais documentação sobre o dropbox, também a pode consultar, através dos meus ficheiros partilhados no dropbox
http://db.tt/iz4O3V