O Linux é a melhor opção

Posts Tagged ‘backups

Com a introdução do Fedora 22, entre outras novidades, o bom e velho YUM (Yellowdog Updater, Modified), deu lugar ao DNF (Dandified Yum), que tem uma série de vantagens sobre o yum, tais como, um melhor desempenho e gestão de memória.

O FEDUP (FEDora UPgrader), com a introdução do Fedora 23, tornou-se insuportável, dando lugar ao DNF.

Ainda há bem pouco tempo, fiz upgrade do Fedora 22 para o Fedora 23 com o DNF, e as minhas primeiras impressões foram bastante positivas 😉

Como fazer upgrade do Fedora com o DNF ?

  1. Por motivos de segurança, faça backups de todos os seus ficheiros e pastas importantes !
  2. Actualize o seu sistema
    # dnf update
    Obs: o # na shell / terminal, quer dizer que está loginado como root ($ root -)
  3. Reinicie o computador
  4. Instale o plugin systemupgrade do DNF
    # dnf install dnf-plugin-system-upgrade --best
  5. Inicie o download do upgrade
    # dnf system-upgrade download --releasever=23 --allowerasing
    Atenção: neste caso é para fazer upgrade para o Fedora 23, se fôr para outra versão mais recente, não se esqueça de mudar a versão a seguir a –releasever=.
  6. Inicie o processo de upgrade
    # dnf system-upgrade reboot
    Atenção: Apenas se deve executar este passo se no passo 5) ocorreu com sucesso !

    Quando este comando é executado, o computador reinicia, no grub / boot entra pelo kernel que iniciou da última vez antes do upgrade, e após ter carregado o sistema, inicia o processo de upgrade, que demora bastante tempo (pelo menos 30 minutos)

    Obs: pressione ESC para acompanhar em modo texto o que está a decorrer !

    Findo este processo de upgrade, o computador reinicia, no grub / boot, seleccione a entrada correspondente à nova versão do Fedora (neste caso Fedora 23).

  7. Refaça a base de dados do RPM
    # rpm --rebuilddb
  8. Para evitar problemas faça a sincronização da nova versão do Fedora
    # dnf distro-sync --setopt=deltarpm=0
    Atenção: Jamais execute # dnf update antes deste passo, senão pode dar barraca !
  9. Caso tenha instalado o Google Chrome
    • Se o Fedora instalado for de 32 bits, apague apenas o repositório
      # rm /etc/yum.repos.d/google-chrome.repo
      Obs: O Google Chrome para Linux a 32 bits foi descontinuado, agora apenas está disponível para versões do Linux a 64 bits !
    • Se o Fedora instalado for de 64 bits, execute:
      # dnf remove google-chrome*
      # dnf install google-chrome-stable

Bom, espero que este tutorial vos seja útil 😉

Links:
http://www.if-not-true-then-false.com/2015/fedora-22-to-23-upgrade-dnf/
https://www.phoronix.com/scan.php?page=news_item&px=Fedora-Fedup-Being-Replaced
https://fedoraproject.org/wiki/Features/DNF
http://linuxcentro.com.br/download-linux/analise-fedora-22/

Anúncios

Antigamente para fazer upgrade do Fedora, tinha-se que fazer download da iso, gravar num DVD, e depois arrancar pelo DVD e fazer o upgrade para a nova versão do Fedora !

Mas, agora desde o Fedora 17, as coisas mudaram: o DVD do Fedora apenas serve para instalar o Fedora; e para fazer upgrade do Fedora temos que usar o FedUp – FEDora UPgrader.

Há tempos, precisei de fazer o upgrade do Fedora 18 para o Fedora 19, se bem que o Fedora 20 tá quase a sair, e encontrei umas dicas bastante interessantes, que resolvi partilhar com todos os que delas possam precisar 😉

Como fazer upgrade do Fedora com o FedUP ?

  1. Por motivos de segurança, faça backups de todos os seus ficheiros e pastas importantes !
  2. Actualize o seu sistema
    $ yum update
  3. Reinicie o computador
  4. Instale o FedUp
    $ yum install fedup
  5. Inicie o upgrade com o FedUp
    $ fedup-cli --network 19 --debuglog /root/fedup.debug.log
    Atenção: neste caso é para fazer upgrade para o Fedora 19, se fôr para outra versão não se esqueça de mudar a versão a seguir a –network.
    Pode incluir outros repositórios com a opção –enablerepo=nome_repositório.
  6. Reinicie o computador
  7. Logo no boot (grub), vai aparecer “system upgrade (fedup)”, escolha esse item para continuar.
    Pressione ESC se quer ver em modo texto, vai demorar um bom tempo 😉
  8. Quando terminar reincie o computador
  9. Refaça a base de dados do RPM
    $ rpm --rebuilddb
  10. Para evitar problemas faça a sincronização da nova versão do Fedora
    $ yum distribution-synchronization --disableplugin=presto
    Atenção: Jamais execute $yum update antes deste passo, senão pode dar barraca !
  11. Caso tenha instalado o Google Chrome execute
    $ yum remove google-chrome-\* && yum install google-chrome-[beta,stable,unstable]

Bom, espero que este pequeno tutorial vos seja útil 😉

Links
http://www.if-not-true-then-false.com/2013/upgrade-fedora-18-to-fedora-19-using-fedup/

Desta vez, vou-vos falar do Insync, uma execelente ferramenta de computação em nuvem,  para sincronização com o Google Drive 🙂
Porque infelizmente o Google Drive só está disponível para windows, mac, ios e android. 😦
Mas o Insync não fica nada atrás, bem pelo contrário, eles até dizem que o “Insync ama o Linux” 😀
O Insync permite uma perfeita infegração nas vários distros, e em vários ambientes de trabalho (eg. kde, gnome …) !

Eu aqui apenas vou exemplificar os passos para instalar o Insync, para as distros que suportam o APT ou o YUM, e para os ambientes gráficos GNOME e KDE, para os restantes poderão consultar a página oficial do Insync !

Nota: A versão 1.0 do Insync tá quase a sair do forno, confira aqui as novidades
https://forums.insynchq.com/discussion/1747/insync-1-0-release-candidate/p1

Através do APT

  1. Faz download do repositório insync
    $ wget -qO - https://d2t3ff60b2tol4.cloudfront.net/services@insynchq.com.gpg.key \ | sudo apt-key add -
  2. Edita o ficheiro /etc/apt/sources.list e acrescenta
    deb http://apt.insynchq.com/ [DISTRO] [CODENAME] non-free
    Exemplo: deb http://apt.insynchq.com/ubuntu Ubuntu 12.04 non-free
  3. Actualiza os repositórios no apt
    $ sudo apt-get update
  4. Instala o insync
    $ sudo apt-get install insync-beta-ubuntu insync-beta-gnome ou
    $ sudo apt-get install insync-beta-ubuntu insync-beta-kde, consoante o ambiente gráfico preferido.

Através do YUM

  1. Importa a chave pública do insync
    $ sudo rpm --import https://d2t3ff60b2tol4.cloudfront.net/repomd.xml.key
  2. Cria um novo ficheiro insync.repo dentro do directório /etc/yum.repos.d/ com o seguinte texto:
    [insync]
    name=insync repo
    baseurl=http://yum.insynchq.com/fedora/
    gpgcheck=1
    gpgkey=https://d2t3ff60b2tol4.cloudfront.net/repomd.xml.key
    enabled=1
    repo_gpgcheck=1
    metadata_expire=60m
  3. Instala o insync
    # yum groupinstall insync-beta-gnome ou
    # yum install insync-beta-kde, consoante o ambiente gráfico preferido.

O que é o dropbox ?

O DropBox é um serviço para armazenamento de ficheiros, baseado no conceito de computação em nuvem.
Veja mais informações sobre o dropbox neste link da wikipédia
http://pt.wikipedia.org/wiki/Dropbox

Por outras palavras, o dropbox funciona como um disco virtual, onde se guardam ficheiros (tal como numa pen). Para além disso é possível partilhar ficheiros com os amigos e trabalhar em equipa num documento … !
A grande vantagem do dropbox, é a portabilidade, ou seja,  podemos abrir num qualquer computador com internet.

Como se instala o dropbox no linux ?

Para instalar o dropbox no linux siga os seguintes passos:

  1. Faz download do script em python com o cliente do dropbox para linux
  2. Abre um terminal e executa o comando
    $ su -
  3. Instala o cliente do dropbox para linux
    $ python dropbox.py start -i
    e siga as instruções do assistente, e quase no final vai-lhe pedir para criar uma conta nova ou para usar uma já existente
  4. Faça download do plugin do dropbox para o nautilus (gestor de ficheiros do gnome), dependendo da distro linux que utiliza.
    https://www.dropbox.com/downloading?os=lnx
  5. Instale o referido plugin, recorrendo ao gestor de pacotes (adicionar / remover software), ou na linha de comandos. Neste último caso, entre em modo root e execute um dos seguintes comandos:
    # cd «directório de downloads»
    # yum install nautilus-dropbox*

    ou

    # cd «directório de downloads»
    # dpkg -i nautilus-dropbox*.deb
  6. Se preferir que o dropbox inicie de cada vez que o linux arranca, proceda do seguinte modo:
    • KDE
      • Vá a siytem settings, tab advanced, autostart e acrescente o desktop file com o comando dropbox start -i
    • GNOME
      • Vá a startup aplications (aplicações no arranque) ou sessions (sessões), e acrescente dropbox start -i

Como se utiliza o dropbox no linux ?

Primeiro de tudo, se o dropbox não estiver no arranque, terá que o iniciar manualmente, executando no terminal
$ dropbox start

dropbox no kde

dropbox no kde

Agora na systrai vai aparecer um icon, que parece uma caixa aberta, que é o dropbox.
Clique duas vezes nesse icon e vai aparecer o nautilus (gestor de ficheiros), com os ficheiros e pastas que estão no dropbox.
Entre as outras pastas tem duas de importante relevância:
Public – nesta pasta poderá compartilhar o que quiser com os seus amigos.
Photos – nesta pasta poderá compartilhar fotos das últimas férias … com os seus amigos, e ainda usufrui de um serviço especial do dropbox para mostrar as imagens em thumbnails, e tb com slideshow … !
Tudo o resto que pusermos na raiz ou notras pastas que não estas será apenas privado, a não ser que partilhe uma determinada pasta.

Quando desejar terminar o dropbox, basta ir ao icon do dropbox na systrai e clicar em stop dropbox, ou então na linha de comando
$ dropbox stop

Também poderá utilizar em modo web.

Para quem quiser convites para o dropbox, basta aceder ao link e criar uma nova conta
https://www.dropbox.com/referrals/NTY2Mzk3ODM5

Se tiverem algumas dúvidas sobre o dropbox, podem ver com ele funciona nestes dois videos compartilhados no meu dropbox
http://db.tt/0NRxFf

Quem quiser consultar mais documentação sobre o dropbox, também a pode consultar, através dos meus ficheiros partilhados no dropbox
http://db.tt/iz4O3V

Finalmente apareceu o CloneZilla, um software livre de peso, à altura do famoso Norton Ghost … !! 😉
Até à altura já existiam alguns softwares livres para fins idênticos, tais como o partimage, mas nenhum deles estava à altura do Norton Ghost … !!
O CloneZilla, como o próprio nome diz, é um software que permite fazer clones ou cópias inteiras de um disco ou de uma partição, evitando deste modo a que se tenha que instalar tudo de novo … !!

O CloneZilla é um LiveCD, e como tal tem que se fazer dowload do iso, gravar num cd, e arrancar a partir desse cd … !!

Para os mais apressados, vejam algumas screenshots

voltar ao Guia de Iniciação no Linux próximo
 

Por questões de segurança, antes de experimentar instalar o Linux, devem-se fazer Backups das coisas importantes que temos no computador. Porque embora não seja muito usual, pode haver algum azar e podemos correr o risco de perder toda a informação existente no disco. E se tivermos backups, pelo menos esses estão salvaguardados, e pelo menos não se perdeu tudo …. !!

Há várias formas de fazer backups, contudo eu uso uma muito simples e eficiente: compactar as pastas que me interessam separadamente, e depois guardar na pen e/ou num cd / dvd …. !!
Eu pessoalmente, costumo fazer backups de: os meus documentos, favoritos / bookmarks, correio electrónico, os meus projectos … !!
Existe um compactador livre muito bom para windows, o 7-zip, que tem quase as mesmas potencialidades que o winrar.
Antes de começar a fazer Backups é conveniente que se crie uma pasta chamada Backups, onde se guardam todos os backups.
E para uma maior organização dos Backups, eu costumo criar dentro da pasta Backups, várias subpastas, tais como, documentos, favoriros, correio …  mas isso fica ao gosto de cada pessoa … !!
Uma boa política de backups, é mudar o nome do backup para outro que contenha informações sobre a data em que foi efectuado o backup (exemplo: renomear de documentos.zip para documentos_09_07_2009.zip).

a) Backups de pastas

  • Entre no item o meu computador e vá até à pasta desejada
  • Seleccione a pasta e escolha a opção compactar
  • Renomeie o ficheiro compactado, e mova-o para a respectiva pasta de Backups
compactar

compactar pastas

b) Backup dos favoritos / bookmarks

  • Firefox
    • Entre no menu bookmarks e escolha o item “Organizar bookmarks”
    • Na janela que abre, procure a opção export HTML
    • Guarde o ficheiro html na respectiva pasta de backups
  • Internet Explorer
    • Entre no menu ficheiro e escolha a opção importar / exportar
    • Siga o assistente e escolha a opção exportar favoritos
    • Guarde o ficheiro na respectiva pasta de Backups

c) Backups do correio electrónico

No Thunderbird existe uma extensão chamada mboximport, que permite efectuar backups das mensagens.
No Microsoft Outlook (o que vem com o office), existe uma extensão chamada pstbackup, que também faz o mesmo.
Já para o Oulook Express, existem muitas ferramentas de backup, mas a maioria são shareware … !!

Agora de seguida, vou abordar como se fazem backups de correio electrónico no thunderbird e no outlook express, uma vez que se fosse abordar 1 a 1, nunca mais saía daqui …. !! 🙂

c.1) Thunderbird

Mensagens

  • Tem que ter a extensão mboximport instalada no thunderbird
  • Vá ao menu ferramentas  -> ImportExportTools
  • E escolha a opção export all the folder (exportar todas as pastas)
  • Procure o respectivo directório de backups e guarde o ficheiro

Livro de endereços

  1. Crie uma pasta livro_enderecos na respectiva pasta de backups
  2. Vá ao menu ferramentas -> livro de endereços
  3. Seleccione um livro de endereços
  4. Entre no menu ferramentas -> exportar
  5. Guarde o ficheiro na pasta criada em 1
  6. Volte até 3, até exportar todos os livros de endereços (pastas) existentes.
  7. Compacte a pasta livro_enderecos e renomeie de modo a incluir a data do backup
Exportar livro de endereços no thunderbird

Exportar livro de endereços no thunderbird

c.2) Outlook Express

Mensagens

  • Entre no windows explorer (ou explorador de ficheiros), vá ao menu ferramentas -> opções de pastas, active a opção “mostrar pastas e ficheiros ocultos”
  • Depois entre na pasta “c:\documents and settings\utilizador\Definições locais\Application Data\Identities”
  • Aqui vai mostrar uma ou mais pastas, que começam por chavetas e têm uma sequência de números e letras.
  • Entre numa das pastas (cd {sequência}\Microsoft\Outlook Express), que contenha ficheiros *.dbx do Outlook Express
  • Agora é só pegar nesses ficheiros e compactar para .zip ou .rar, e mover o ficheiro compactado para a respectiva pasta de backup
  • Se tiver várias sequências, é só repetir o processo para cada uma

Livro de endereços

  1. Vá ao menu Ficheiro -> Exportar -> Livro de Endereços
  2. Na janela que abre escolha a primeira opção “Ficheiro de texto (CSV)”, e clique no botão exportar
  3. Na janela seguinte clique no botão procurar, e procure a pasta onde quer guardar os backups, deia um nome ao ficheiro e clique no botão seguinte
  4. Aí escolha os campos que quer exportar, se não mexer em nada ele exporta os campos por omissão, e carregue em concluir

d) Guardar backups

Quando estiverem efectuados todos os backups necessários, então agora é altura de guardar todos os seus backups para um local seguro.
Para tal use uma pen e copie a pasta Backups para a pen.
Ou em alternativa, grave para um cd / dvd, através do nero ou outro programa de gravação de cds / dvds.

 
voltar ao Guia de Iniciação no Linux próximo

Categorias

Sondagem