O Linux é a melhor opção

Posts Tagged ‘terminal

Com a introdução do Fedora 22, entre outras novidades, o bom e velho YUM (Yellowdog Updater, Modified), deu lugar ao DNF (Dandified Yum), que tem uma série de vantagens sobre o yum, tais como, um melhor desempenho e gestão de memória.

O FEDUP (FEDora UPgrader), com a introdução do Fedora 23, tornou-se insuportável, dando lugar ao DNF.

Ainda há bem pouco tempo, fiz upgrade do Fedora 22 para o Fedora 23 com o DNF, e as minhas primeiras impressões foram bastante positivas 😉

Como fazer upgrade do Fedora com o DNF ?

  1. Por motivos de segurança, faça backups de todos os seus ficheiros e pastas importantes !
  2. Actualize o seu sistema
    # dnf update
    Obs: o # na shell / terminal, quer dizer que está loginado como root ($ root -)
  3. Reinicie o computador
  4. Instale o plugin systemupgrade do DNF
    # dnf install dnf-plugin-system-upgrade --best
  5. Inicie o download do upgrade
    # dnf system-upgrade download --releasever=23 --allowerasing
    Atenção: neste caso é para fazer upgrade para o Fedora 23, se fôr para outra versão mais recente, não se esqueça de mudar a versão a seguir a –releasever=.
  6. Inicie o processo de upgrade
    # dnf system-upgrade reboot
    Atenção: Apenas se deve executar este passo se no passo 5) ocorreu com sucesso !

    Quando este comando é executado, o computador reinicia, no grub / boot entra pelo kernel que iniciou da última vez antes do upgrade, e após ter carregado o sistema, inicia o processo de upgrade, que demora bastante tempo (pelo menos 30 minutos)

    Obs: pressione ESC para acompanhar em modo texto o que está a decorrer !

    Findo este processo de upgrade, o computador reinicia, no grub / boot, seleccione a entrada correspondente à nova versão do Fedora (neste caso Fedora 23).

  7. Refaça a base de dados do RPM
    # rpm --rebuilddb
  8. Para evitar problemas faça a sincronização da nova versão do Fedora
    # dnf distro-sync --setopt=deltarpm=0
    Atenção: Jamais execute # dnf update antes deste passo, senão pode dar barraca !
  9. Caso tenha instalado o Google Chrome
    • Se o Fedora instalado for de 32 bits, apague apenas o repositório
      # rm /etc/yum.repos.d/google-chrome.repo
      Obs: O Google Chrome para Linux a 32 bits foi descontinuado, agora apenas está disponível para versões do Linux a 64 bits !
    • Se o Fedora instalado for de 64 bits, execute:
      # dnf remove google-chrome*
      # dnf install google-chrome-stable

Bom, espero que este tutorial vos seja útil 😉

Links:
http://www.if-not-true-then-false.com/2015/fedora-22-to-23-upgrade-dnf/
https://www.phoronix.com/scan.php?page=news_item&px=Fedora-Fedup-Being-Replaced
https://fedoraproject.org/wiki/Features/DNF
http://linuxcentro.com.br/download-linux/analise-fedora-22/

Anúncios

Estimados leitores,
Em primeiro lugar queria agradecer o facto de seguirem o meu blog, só nas últimas semanas aumentou imenso o n.º de seguidores 😉

Como a maioria deve saber, uma das melhores versões do Windows, refiro-me ao XP, dentro de cerca de 4 dias deixará de ter suporte !
http://www.microsoft.com/en-us/windows/enterprise/end-of-support.aspx

Certamente que muitos utilizadores do Windows XP farão a pergunta: E agora o que fazer ? Atualizar para o Windows 8.1 ou instalar outro sistema alternativo ?
No último post, foram indicadas uma série de boas razões para mudar para o Linux 😉

É possível utilizar o Linux só pelo ambiente gráfico, sem a necessidade de recorrer ao terminal e executar algum comando.
No entanto para os que gostam de mexer na linha de comandos, e estavam habituados ao ms/dos, aqui vai uma lista com alguns comandos equivalentes aos do ms/dos para o Linux 😉

todotxt logo

Certamente que muitos de vós, já usaram algum programa de postits e/ou  gestor de tarefas (todo) … !
Venho-vos apresentar o Todo.txt, um dos melhores programas de gestão de tarefas ! 😀

Vantagens:

  • É livre (é de código aberto e gratuito)
  • É universal, portanto funciona em qualquer sistema operativo. No windows apenas requer o cygwin instalado. Além do mais qualquer sistema operativo lê um ficheiro .txt
  • É leve
  • É extensível, pelo que permite extender imenso as funcionalidades básicas
  • É estremamente útil para uso a nível profissional

Antes de mais nada vejam o vídeo com a demonstração deste programa

Eu já o uso há uns tempos, e para mim é sem dúvida o melhor programa de gestão de tarefas que conheci, é estremamente profissional, e permite fazer coisas que à primeira vista nem acreditaríamos ! 😉
Entusiei-me com este excelente programa, e resolvi extender as funcionalidades básicas para um uso bastante profissional ! 🙂
Mas também é possível usá-lo como simples anotações de tarefas, como ir ao supermercado, comprar pão, … !

Árvore de tarefas
Dá imenso jeito para ter uma visão / panorama global das tarefas, em àrvore, agrupados por projectos (+) e contextos / áreas (@).
As tarefas a verde estão terminadas e as a vermelho estão por fazer !
Exemplos de uso:

$ t tree
$ t tree +AplicacaoWeb @BaseDados
$ t tree +TrabalhosDomesticos

árvore de tarefas

Estatísticas
Não são certamente em modo gráfico, mas ajudam bastante … !
estatísticas das tarefas

Duração das tarefas
A indicação da duração de tarefas é bastante útil para obter indicadores acerca do tempo gasto em cada tarefa, com mais ou menos precisão … !
duração das tarefas

E outras funcionalidades mais … !
Podem fazer o download delas, através da minha página de addons para o todo.txt
https://github.com/zefilipe/todo.txt-cli/tree/master/addons

Sincronização
Para mantermos as tarefas sincronizadas, no teu pc, tablet, netbook, smartphone … um pequeno truque é alterar as configurações do ficheiro todo.cfg, de modo a guardar numa pasta do dropbox, ou de outro qualquer programa de computação em nuvem.
Exemplo:

export TODO_FILE=”/home/utilizador/Dropbox/todo.txt”
export DONE_FILE=”/home/utilizador/Dropbox/done.txt”

Ficheiros

ls – lista o directóro
ls -al – lista o directóro com os ficheiros escondidos
cd dir – entrar no directório dir
cd – entrar na home
pwd – mostra o directório currente
mkdir dir – cria o directório dir
rm fich – apaga o ficheiro fich
rm -r dir – apaga o directório  dir
rm -rf dir – força a apagar o directório dir
cp fich1 fich2 – copia fich1 para fich2
mv fich1 fich2 – move file1 para file2
ln -s fich link – cria uma ligação simbólica para o ficheiro fich
more fich – mostra pág a pág o conteúdo de fich
head fich – mostra as primeiras 10 linhas de fich
tail fich – mostra as últimas 10 linhas de fich

Outros comandos estão disponíveis nesta tabela em pdf

Quando fazemos ssh login@servidor geralmente é pedida uma password de acesso.
Existe um modo, de fazer ssh login@servidor sem pedir a password

  1. Abra um terminal (shell)
  2. Crie uma chave (key)
    $ ssh-keygen
    Siga os passos, e carregue enter em práticamente todos eles, escolhendo deste modo a opção por omissão
  3. Copie o id da chave, para esse login e servidor
    $ ssh-copy-id -i .ssh/id_rsa.pub login@servidor
  4. E introduza a mesma password que introduz ao fazer ssh login@servidor

E pronto, agora ao fazer ssh login@servidor já não pede a password

anterior voltar ao Guia de Iniciação no Linux
 

Após a instalação da sua distro favorita, é hora de fazer o primeiro boot no Linux … !!
Por vezes, dependendo da distro Linux usada, durante o primeiro boot, aparece um assistente de configuração. Então nesse caso, basta estar minimamente atento e seguir os passos e as dicas do assistente.
Uma vez concluído o primeiro boot reinicie o computador.

A maioria das distros Linux, logo após a instalação, apresentam imensos pacotes (packages) a actualizar. Pelo que aconselho a que o façam nas horas mortas, ou deixem a actualizar de noite, uma vez que a actualização poderá demorar bastante tempo.

Para proceder à actualização, poderá usar uma das variadíssimas interfaces gráficas para gestão de pacotes, tais como, synaptic, yumex, packagekit, … !!
O packagekit é um dos gestores de pacotes mais universais. Actualmente o packagekit funciona nas distros: Fedora, Foresign Linux, Moblin, Kubuntu, OpenSuse e Suse / Novell. Mas é normal que no futuro venha a abranger mais distros Linux.
Usando uma interface gráfica para gestão de pacotes, o processo de actualização é bastante simples … !!

Já para quem preferir atualizar o sistema pela linha de comandos / terminal, o processo tem mais que se lhe diga, mas com a prática vai-se lá … !! 😉
A nível de gestores de pacotes em modo texto (na linha de comandos), temos o apt-get, o yum, … !!
Neste post, apenas vou abordar como se actualiza o sistema, usando o apt-get ou o yum.

 

Actualizar o sistema usando o yum

1. Entre em modo root

$ su -

2. Limpe a cache

# yum clean all

3. Actualize o sistema

# yum update

Se tiver uma rede local com proxy e não conseguir actualizar o sistema, experimente fazer o seguinte:

# export http_proxy=http://login:pass@ip_proxy:porta_proxy

 

Actualizar o sistema usando o apt-get

1. limpe a cache

$ sudo apt-get clean

2. actualize as listas de pacotes

$ sudo apt-get update

3. actualize o sistema

$sudo apt-get upgrade

Uma vez terminado este post, dou por concluído o Guia de Iniciação no Linux … !!
Espero que este guia vos seja útil, principalmente para os iniciantes no Linux …. !! 😉

 
anterior voltar ao Guia de Iniciação no Linux